VOTEM – Regime de contratação diferenciada para todas as obras públicas, O REPÚDIO

Amigos arquitetos e cidadãos, no Senado Federal está em aprovação  a MP 630/13, que expande o regime de contratação diferenciada para todas as obras públicas, em todas as esferas administrativas. Isso significa que o poder público poderá licitar qualquer obra sem projeto e que as empreiteiras tem o poder de planejar as áreas públicas das nossas cidades.

Façamos nossa parte e, com um e-mail que esclareça nosso total repúdio a este ato, enviemos para os endereços que se encontram no anexo.

Mais informações no link.

http://www.caubr.gov.br/?p=21900

NOMES1 (1)

 

Anúncios

Laboratório em Cuiabá

Hoje apresentamos o projeto do arquiteto José Afonso Botura Portocarrero para um laboratório de estudos e projetos de sustentabilidade do Sebrae em Cuiabá, Mato Grosso.

laboratorio MT

O projeto teve como partido as ocas típicas das tribos indígenas do Xingu, esse formato completa o conceito de prédio sustentável, pois ele permitiu a utilização de uma dupla casca como cobertura. Através de um espaçamento de 40 cm entre elas cria-se um colchão de ar que mantém a camada interna e o interior do prédio a uma temperatura agradável, sem a utilização de ar condicionado

Com aberturas na casaca exterior, é possível coletar a água da chuva que é reutilizada nas bacias sanitárias e na manutenção do prédio e do jardim.

laboratorio MT 2

Com a utilização de amplos vidros e brises não é necessária a utilização de luz artificial durante o dia. Para a iluminação noturna foram instaladas luminárias solares.

Para mais informações acessem o site do Sebrae

http://www.sustentabilidade.sebrae.com.br/Sustentabilidade/Nosso-trabalho

MÚSICA TODAS AS COMUNIDADES DO ENGENHO NOVO- O RAPPA

Esta música relata a realidade da população que reside no bairro do Engenho Novo (RJ). Bairro este que sofre pela falta de investimentos. O bairro ficou um pouco degradado devido as favelas que o cercam.

A música vem reaver toda a história do bairro e também as áreas de lazer e convívio, desde a criança até o idoso.

Menciona também seus bairros vizinhos como Jacaré, Sampaio e Mangueira…

Bora desfrutar do som…

http://www.youtube.com/watch?v=oPI-JgL8SQY

RESOLUÇÃO 51, DE 12 DE JULHO DE 2013.

Pessoal, um post interessante sobre as devidas atribuição e atividades do Arquiteto e Urbanista…

Seguido de decretos e discussões sobre resoluções que falassem sobre as devidas atividades dos Arquitetos e Urbanistas, em 12 de Julho de 2013, o CAU dispõe a Resolução 51. Este documento apresenta as atividades, atribuições e campos de atuação dos devidos profissionais. Segue abaixo a observância do profissional Arquiteto e Urbanista.

I – DA ARQUITETURA E URBANISMO:

a) projeto arquitetônico de edificação ou de reforma de edificação;

b) projeto arquitetônico de monumento;

c) coordenação e compatibilização de projeto arquitetônico com projetos complementares;

d) relatório técnico de arquitetura referente a memorial descritivo, caderno de especificações

e de encargos e avaliação pós-ocupação;

e) desempenho de cargo ou função técnica concernente à elaboração ou análise de projeto

arquitetônico;

f) ensino de teoria, história e projeto de arquitetura em cursos de graduação;

g) coordenação de curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo;

h) projeto urbanístico;

i) projeto urbanístico para fins de regularização fundiária;

j) projeto de parcelamento do solo mediante loteamento;

k) projeto de sistema viário urbano;

l) coordenação e compatibilização de projeto de urbanismo com projetos complementares;

m) relatório técnico urbanístico referente a memorial descritivo e caderno de especificações e

de encargos;

n) desempenho de cargo ou função técnica concernente à elaboração ou análise de projeto

urbanístico; e

o) ensino de teoria, história e projeto de urbanismo em cursos de graduação;

Segue link com maiores informações sobre os profissionais das áreas de arquitetura de interiores, arquitetura paisagística, patrimônio histórico, cultural e artístico, planejamento urbano e regional e conforto ambiental.

http://www.caubr.org.br/wp-content/uploads/2012/07/RES51-2013ATRIB-PRIVATIVAS20-RPO-1.pdf

Casa na Bahia – Marcio Kogan

Continuando a serie de posts com projetos em várias regiões do Brasil, a casa escolhida foi a de Marcio Kogan em Salvador, Bahia.

Casa Bahia

O mais interessante nesse projeto é que o arquiteto não utilizou portas nem janelas externas na casa. Ele criou um sistema de painéis de madeira que estão ao longo de toda a construção. Baseado no muxarabi da arquitetura árabe, eles filtram a luz externa e permitem a ventilação cruzada.

Outra coisa legal desse projeto é a forma ortogonal da construção. Essa forma não foi escolhida à toa, ela está propícia a receber a ventilação natural e permitir que todas as áreas da casa sejam bem ventiladas.

Para marcar mais ainda essa forma o arquiteto colocou uma varanda na entrada da casa, que com os painéis abertos, tem ligação direta com a área central da construção, aonde fica uma raia de piscina.

Casa Bahia 3

Quem quiser mais informações sobre esses e outros projetos segue o link do site do Marcio Kogan

http://www.marciokogan.com.br/#/home

Residencial Jatobá

Esse prédio de quatro apartamentos em Lauro de Freitas, Bahia, é um exemplo de construção simples e ao mesmo tempo elaborada. O arquiteto, Alexandre Prisco da A&P Arquitetura e Urbanismo, participou de todas as fases dessa obra, o que possibilitou alterações ao longo da execução sem perder o partido e conceito do projeto.

Residencial Jatobá 2

Com orçamento restrito Prisco utilizou os materiais de forma verdadeira, natural. O arquiteto sempre esteve preocupado com o conforto dos moradores, por esse motivo criou brises verticais e horizontais nas aberturas das fachadas laterais e uma empena na fachada frontal do edifício para bloquear a incidência solar direta.

Residencial Jatobá 3

A parede de bloco cerâmico será revestida, ao longo dos anos, pelas trepadeiras formando um jardim vertical. Essa solução vem de encontro com o restante do projeto, pois o arquiteto manteve muita área permeável no terreno, visando o conforto dos moradores.

Quem quiser mais informações sobre esse e outros projetos do escritório é só acessar o site:

http://www.aeparquitetura.com/

Musica Arquitetura Moderna

A musica dessa semana é de Wanderson Lemos, como o próprio nome diz ela fala de Arquitetura Moderna, mas não a do movimento modernista e sim da arquitetura atual, que tenta encontrar soluções para todos os problema.

Ponte de mercúrio a plutão
Meus olhos turvos, vadios
Mirando o vazio a esperar
Eu quero um sonho

Segue o vídeo:

Residencial Wirton Lira-Jirau Arquitetura

Pessoal, começaremos a publicar projetos de diferentes regiões, fugindo um pouco da região sudeste (São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais) e também da região Centro Oeste (Brasilia).

Escolhemos o projeto do escritório Jirau Arquitetura. Esse conjunto de casas populares em Caruarú (PE), chama a atenção pela referência modernista e também a utilização de cores fortes e de diferentes elementos.

DALY-001-IM-2012-04-18 (03)

Além das casa terem “uma cara” diferente, esse projeto é referência de implantação, pois os arquitetos souberam aproveitar muito bem o terreno e pensaram na integração com os vizinhos do conjunto. Mantendo as áreas institucionais nas extremidades da quadra.

A planta é composta por sala, cozinha, banheiro e dois quartos. Essa configuração pode ser modificada pelos proprietários. O projeto prevê o aumento de um quarto e um banheiro, sem afetar a estrutura e a estética do projeto original.

IMG_1836

Para manter a referência do conceito habitual de casa, o telhado frontal é bem inclinado e de telha cerâmica com um amplo beiral.

Com a parede da frente e o volume da caixa d’água pintados de cores fortes, as fachadas ganham movimento e quebram a monotonia de várias construções iguais.

Para saber mais sobre esse e outros projetos da Jirau Arquitetura, acessem o site: http://www.jirauarquitetura.com.br/?ir=home

VERTICALIZAÇÃO

Lendo um texto sobre verticalização das cidades, uma crítica indecisa na verdade, como arquitetas e urbanistas, nos vimos no direito de expressar nossa opinião.

A questão não é definirmos se a verticalização e o adensamento populacional são bons ou ruins, a questão é que é claro que esta “solução” vem sendo a forma mais econômica e pouco preocupante de se “fazer cidade”.

Encontramos principalmente em grandes metrópoles um número restrito de lotes, capazes para suportar pequenos grupos de famílias, logo a solução mais viável é sim o adensamento, pois, em uma área onde se constrói e abriga poucas famílias, com a verticalização é possível que se abrigue mais famílias.

Reflexo disso se dá pela mobilidade urbana, pela questão econômica, arquitetônica, mas cabe a nós, arquitetos e urbanistas defendermos o que é correto, viável e nas mínimas condições de habitação.

Respondam-nos… Nas condições de você ter um vizinho de bloco e da sua janela conseguir cumprimenta-lo com um aperto de mão, pela janela dele, isso é bom ou ruim?

No planejamento das cidades, sempre pensamos nela de um macro para um micro, se na posição de micro já existe esta situação, poxa, ficamos sem dormir em pensar na situação do macro.

A fim de atendermos as demandas do mercado, mas principalmente as necessidades dos moradores e da capacidade espacial das cidades, escolhemos dois modelos de  projetos que mostram claramente, a verticalização utilizada de uma forma muito favorável e funcional.

Edifício Girassol, Sâo Paulo – Frentes Arquitetura

01          02

Um edifício residencial totalmente assimétrico, de arquitetura com linhas  incomuns que expressam flexibilidade e liberdade.

Além de um marco, devido à utilização de cor forte e atípica, utiliza-se de elementos leves, naturais, o que completam a integração deste com o local.

Mais informações sobre o projeto: http://www.frentes.com.br/job.php?idjob=0103&tipo=job&c=p

Edifício Montevidéu 285, Belo Horizonte – Vazio Arquitetura 

03           04

A utilização de elementos diferenciados destaca este edifício dos prédios vizinhos. Não havendo área de lazer comum, o projeto foi pensado de forma a utilização do próprio apartamento como lazer.

Diversificar a fachada com elementos e alturas diferentes ajudou também na leveza do prédio comparado ao seu entorno.

Mais informações sobre o projeto: http://www.vazio.com.br/projetos/ed-montevideu-285/

Podemos destacar também que ambos possuem um gabarito de médio porte, tendo comunicação com o entorno e respeitando as normas locais.